Arquivo da tag: dieta

Viagem ao Peru – Dia 1

Passagem na mão

Nossa, meu dia começou cedo! 3:30 eu estava no taxi indo para o Galeão. Antes de sair de casa tomei café da manhã e fui.

Como minha proposta era fazer um diário gastronômico, vamos então às comidinhas…

Comida de avião

Eu estava desacostumada a comer no avião, algumas companhias aéreas nem servem mais comida (nem lanche). Eu que geralmente fico na ponte aérea, e às vezes vou pra Campo Grande, ou seja, lugares relativamente pertos, quando eles dão amendoim é muito.

Algumas companhias inclusive vendem comida dentro do vôo, mas não dão nada.

Eu vim para cá por uma companhia chamada Taca. Não muito tempo depois da decolagem eles serviram o café da manhã (saimos do Rio de Janeiro às 6:10).

Eles devam duas opções de prato: omelete ou rocambole de doce de leite. Eu escolhi o omelete.

Bom, o vôo estava programado para durar 5 horas, e eu não sabia se teria comida depois, então comi o pão, o omelete e as frutas e deixei o bolinho para comer depois de duas horas.

Bolinho para depois

 Mas, não era que os caras pensaram nisso também! Aí eles serviram uma bolacha doce pequena, depois de umas duas horas de vôo.

Surpresa!

 Por via das dúvidas, guardei o bolinho. Logo cheguei no Peru.

Em solo

Bom, demorou um bom tempo até eu descer do avião, fazer os procedimentos de entrada no país, declarar bagagem, passar pela “alfândega” (não sei como se chama por aqui), encontrar minha mãe. Aí, para nossa tristeza, ela tinha levado uma multa indo me buscar. Fomos até a prefeitura da cidade onde é o aeroporto (15 minutos de Lima, segundo a comissária de bordo), para tentar rever essa multa ou pagar.

Ou seja, mais um tempão e eu sem saber que horas ia almoçar. Afinal, aqui eram 11:30, sendo que no meu fuso era 13:30. Aí adivinha o que me salvou nesse meio tempo? O bolinho, hahahaha.

Depois de chegar no comitê, conhecer a equipe, trabalhar um pouco, era hora do almoço. Aqui eram 13:30, mas no meu fuso já eram 15:30. Mas estou me acostumando.

Sopa de entrada

Notei duas coisas, primeiro aqui a comida é muito barata. Muito barata mesmo! Segundo eles comer uma quantidade muito grande de comida. Comem uma sopa como entrada e um grande prato depois. Eu acabei optando por um prato de frango, arroz e salada, que confesso não ter conseguido comer inteiro, sem entrada!

Meu prato

Depois eu ainda comi frutas secas no final da tarde e vim para o hotel. O hotel é lindo! O nome é Miraflores Park. E o melhor, tem uma academia aqui e aproveitei para caminhar na esteira. Uma coisa legal, eles tem maçãs espalhadas por todos os lugares, além de água.

Maçãs pelo hotel todo

E para o jantar comi uma Ciabatta de salmão defumado com salada. Até nisso o hotel é bom, estava uma delícia!

Bom, boa noite para todos e até amanhã!

Para acompanhar mais fotos é só dar uma olhada no meu álbum do facebook.

E para encerrar, uma dica da Tapa (a companhia aérea, aliás, o Peru é a terra do duplo sentido, né?!).

Sabias que?

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em diário, Viagens

Truques para a Páscoa

Vocês acham que a dra. Liliam ia me deixar desamparada na páscoa?! Claaaro que não. Por isso na última consulta ela me passou um texto muito bom sobre como driblar a tentação do chocolate durante esse período.

Quem é que não espera ansiosamente o domingo de Páscoa? Assim como o Natal, a Páscoa é o dia em que as famílias se reúnem em volta de uma mesa farta para se deliciarem com tortas, pães recheados, bolos, colombas pascais, doces e chocolates! Mas, não é porque você está seguindo um plano alimentar para perda ou manutenção de peso que deixará de comer essas gostosuras, não é?

Para isso, é preciso conhecer melhor as opções e o limite de ingestão para não extrapolar na quantidade adequada. Antes de tudo, planeje seu almoço de páscoa. Independente de ser em casa ou em um restaurante, escolha alimentos de fácil digestão e com baixo valor calórico, como:

* Saladas à base de verduras e legumes, temperadas com azeite, limão, sal ou mostarda. Evite maionese e molhos cremosos.

* Carnes magras: como cortes bovinos – lagarto, filé mignon, coxão duro, coxão mole e patinho; peixe de músculo claro – bacalhau, badejo, corvina, garoupa, linguado, pescada; e aves – principalmente da região do peito e sem pele.

* Acompanhamentos: arroz, batata cozida ou assada, polenta, massas com molho simples, como o de tomate (esqueça aqueles com creme de leite ou leite de coco pois, são muito gordurosos).

* Sobremesas: opte pelas frutas típicas, utilizando-as picadas, na forma de saladas de fruta, com gelatina, cozidas ou assadas (com canela e adoçante). Evite os cremes, mousses, pavês, tortas ou bolo com recheio, por conterem muita gordura em sua composição (proveniente dos ovos, mateiga ou margarina e creme de leite) e sã muito calóricos.

Na páscoa é muito comum a troca de presentes especialmente a de ovos de chocolate. Se você não está querendo “cair na tentação” de consumir muito doce, avise seus familiares e amigos que este ano, ao invés de ganhar ovos imensos, você prefere uma caixinha de bombons ou um ovo menor (como o número 9, que contém aproximadamente 75g).

Se você é o único na casa que segue um plano alimentar para emagrecer, não vá ao supermercado comprar doces, colombas pascais ou chocolates para presentear os familiares. Imagine só a vontade que você irá passar! É bem provável que não resista e acabe comprando também para você.

Para evitar esse constrangimento, peça a um parente ou amigo que faça essas compras. Lembre-se que a quantidade a ser comprada deve ser limitada: o consumo de doces em excesso não é saudável nem para quem está acima do peso, nem para quem é magro.

No caso de você já ter ganho, mesmo antes da páscoa, um farto ovo de chocolate ou mesmo uma colomba pascal, o que fazer? Ficar com vontade de comê-lo não é benéfico para ninguém. No entanto devorá-lo em poucos minutos também não é.

Para não se descontrolar, você pode resolver essa questão de duas maneiras: abra o presente, experimente um pedacinho e compartilhe com a família e amigos, assim, sua tentação logo irá acabar; ou coma um pouquinho  e guarde o restante em um recipiente, de tal forma que você possa ir consumindo aos poucos, ao longo de toda a semana.

No caso da colomba, você poderá consumir uma fatia fina, de manhã, no lugar do pão ou torrada e no caso do chocolate, uma porção do tamanho de um bombom poderá substituir a sobremesa do almoço.

Coma aos poucos, até acabar. Dessa forma, você não sobrecarregará seu organismo de calorias extras e nem sua consciência de culpa.

Muitas pessoas acreditam que o chocolate diet possui menos calorias que o tradicional. Não se iluda! Apesar de não possuir açúcar e sim adoçante, esse tipo de chocolate, em geral, contém um teor maior de gordura para ter a mesma consistência de um chocolate comum. Aí que mora o perigo, pois dessa forma, ele acaba sendo tanto ou até mais calórico que o tradicional. Portanto, ele é indicado para pessoas diabéticas e não para quem deseja emagrecer.

Seguindo essas dicas, você não correrá o risco de exagerar na alimentação e não terá o sentimento de “arrependimento”, típico das segundas-feiras após grandes festas.

 

Liliam Teixeira Francisco

Nutricionista – CRN 2001100044-3

Consultórios:

Barra: Città America – Av. das Américas, 700 sala 343 bloco 6 –  Tel.: 2484-5028

Niterói: Rua Cel Moreira César, 229 sala 1712 – Shopping Icaraí – Tel.: 2246-0234

Méier: Rua Dias da Cruz, 556 sala 101 – Tel.: 2289-9403 / 3273-2772

Copacabana: Av. N. Senhora de Copacabana, 1052 sala 901 – Tel.: 2246-0234

 

1 comentário

Arquivado em chocolate, Colunas

Como vencer os problemas da dieta

 

 

Foto do dia 05/Dez de 2009 - Dia em que eu conheci o Felipe - com nossos amigos Daniel e Bruno

Na última consulta com a dra. Liliam recebi um texto com algumas sugestões de como vencer aqueles problemas de quem está de dieta que gostaria de compartilhar com vocês.

Eu mesma sempre fui uma pessoa que associou demais a comida a estar com os amigos, à diversão. Era assim, “vamos sair?”, “Opa, vamos… onde vamos comer?”. Ou se marcava era em uma pizzaria ou restaurante e assim por diante. Ou seja, estar de dieta “limita” aquilo que eu considerava diversão. Mas peraí, limita mesmo?

E estar cansada em casa, sem roupas legais que me sirvam, não limitavam a minha diversão?

Eu acredito de verdade que existe um meio termo entre todas essas coisas. Sair, estar com os amigos e comer direito, sem precisar estragar a sua saúde. É só começar olhando bem o que o cardápio tem a oferecer. Outra opção é marcar em lugares que tenham mais opções de restaurantes, eu mesma tenho feito isso com frequência. Bom, não tem jeito, vai num barzinho, manere na bebida (tem até um post aqui falando sobre as calorias e o álcool), e fuja dos petiscos gordurosos.

Mas se saiu numa festa de criança e comeu aquele brigadeiro, beleza. Recaídas acontecem em toda a dieta. Mas vamos lá às dicas da dra. Liliam.

1 – Enfrente os fatos

Tem que enfrentar caso coma demais um dia. Não adianta fazer a famosa “segunda-feira eu começo”. Abusou? Analise o porquê. E faça exercícios sempre, seja segunda ou não.

2 – Não reaja em excesso

Comer muito não será compensado por não comer nada! Nem mesmo por triplicar a sua carga de exercícios (coisa que pode te prejudicar muito). Não dá pra tomar atitudes de “tudo ou nada”. O lance é alcançar o equilíbrio, fazer da dieta é um exercício diário de auto-conhecimento. Não permita que a decepção interfira no seu progresso: concentre-se nos sucessos.

3 – Reavalie e modifique suas metas

Hábitos muito enraizados não mudam de uma hora para outra, tem que estabelecer metas que você pode cumprir. Não dá pra fazer exercício todos os dias? Então comece com 2 ou 3 vezes na semana. É importante traçar metas reais para a sua vida.

4 – Antecipe as situações de risco

Bom, nem sempre conseguimos saber quando algo vai nos chatear, mas quando sabemos podemos nos precaver. Exemplo: eu vou em uma reunião que será tensa, levo comigo a barrinha que mais gosto, pois sei que terei contade de comer um doce assim que sair. E assim por diante.

5 – Não espere milagres

Aí que mora o verdadeiro perigo! A mudança de um hábito é feita devagar e gradualmente. Aquela dieta que faz você perder muito em pouco tempo é nociva e não ensina nada. Só o hábito mudado é que vai se permitir manter manter um peso.

Bom, e no final tem uma mensagem: “Ninguém atinge o cume sem deslizes ou sem ter que parar no meio do caminho. As pessoas que fazem dieta perdem algum peso, recuperam um pouco, voltam a perdê-lo. As que obtêm sucesso nunca param de trabalhar para ele”.

1 comentário

Arquivado em diário, ENDOdiagnostic

4 meses e 11 kg de gordura depois

Bom pessoal, 4 meses já se passaram e as mudanças que o balão tem me trazido são muitas. Desde que comecei a colocar minha dieta em equilíbrio (sim o caminho pra uma vida inteira está apenas começando), me redescobri em vários aspectos. Coisas que a comida, de certa forma, supria.

Ou eu colocava a comida no lugar, tanto faz.

Mas a verdade é que bem mais que apenas perda de gordura, eu tenho aprendido demais sobre mim mesma, até a como ser mais vaidosa. Tive que até mesmo enfrentar tristezas que nem sabia que tinha. O meu amadurecimento nessa fase eu devo principalmente a essa busca por equilíbrio. E saúde.

Eu diminui no mínimo 2 cm em cada uma das medidas do último mês pra cá, além de ter aumentado o meu peso magro (sangue, líquidos, ossos, músculos). Que significa que estou com meus músculos bem mais desenvolvidos e preparados.

Porém, o mais impressionante foi a diminuição de 9 pontos na dobra da cintura em apenas um mês!

Meu percentual de gordura no corpo hoje é de 30,5%. Quando eu comecei estava com 41,4%.

Estou feliz e me sentindo realizada com os resultados. É bom se sentir mais disposta e bonita.

2 Comentários

Arquivado em diário, ENDOdiagnostic, Eu e o balão

Caminhando na Chuva 2

Vocês se lembram desse post aqui?

Pois é, ontem eu caminhando e também chovendo me lembrei dele. Caminhar com a minha mãe é muito bom. Ficar conversando depois e ver o Felipe jogar vôlei.

Outra coisa que fiquei reparando é como eu estou diferente nas duas fotos! Minha mãe também está muito diferente. Ora são dois meses de diferença, mas mesmo assim. Sinto às vezes que essas mudanças estão acontecendo muito rápido, outras vezes eu acho que não, que eu deveria estar bem mais magra. A verdade é que meu humor tem oscilado também, me acho enorme pra logo depois me senitr bem e bonita. Isso acontece com vocês também?

Bom, esse tempo em família é bom, eu me sinto mais feliz.

Mas hoje de manhã foi uma surpresa, quando tentei colocar um cinto, lembra daquele que tava no último buraco? Então, eu não consegui colocar ele, tá grande já 😛

Nem quis fazer outro furo, vou manter ele para medir futuramente! hehehe…

1 comentário

Arquivado em diário, Emocional, Eu e o balão, Exercícios

Alimentação light durante a viagem


Imagem tirada do blog Meninas aos Riscos

Inspirada nas minhas viagens, e para você também curtir um cardápio melhor nas viagens de carnaval, aí vai mais uma coluna da dra. Liliam!

Supere o desafio de manter alimentação light mesmo longe de casa

O que comer durante viagens de carro

A gente sente mais sede dentro do carro, por causa do ar condicionado ou do vento. O perigo número 1 é abusar do refrigerante. Vá de água, suco light e água-de-coco. Outro problema é confundir sede com fome, por isso capriche na hidratação. Leve lanches ricos em proteínas e gorduras do bem, que conferem saciedade por mais tempo e não atrapalham a digestão, assim como o carboidrato necessário para aguentar a viagem. Boas opções são sanduíche de peito de frango com pão integral, snacks de soja, frutas práticas, cookies integrais, castanha-do-pará, frutas desidratadas, biscoitos assados (não fritos!), sucos à base de extrato de soja. Não esqueça de que alguns itens precisam de refrigeração. Uma bolsa térmica resolve o problema.

Paradas na estrada

As lanchonetes são um festival de comidas calóricas e gordurosas (difíceis de digerir), sem falar do baixo valor nutricional. Evite salgados prontos e refrigerante. Melhores opções: iogurte light, sucos light de lata ou caixinha e, dependendo da fome, um misto-quente ou bauru no pão francês (sem miolo). Se a viagem for curta, faça uma boa refeição antes de sair de casa.

O que comer no aeroporto

Como hoje, infelizmente, a espera neles pode ser longa, fique atenta. Se não quiser acabar matando a fome com pão de queijo, é melhor se precaver antes de chegar ao aeroporto ou procurar opções de sanduíches naturais, de atum ou frios magros como peito de peru ou blanquet com alface e tomate. E tenha sempre na bolsa barrinhas de cereais, castanhas, frutas secas, uma maçã ou biscoitos integrais que são comidinhas de baixa caloria, que vão mantê-la satisfeita até a hora do embarque.

O que comer no avião

As companhias aéreas já servem menores quantidades do que estamos habituados, pois a digestão fica prejudicada devido à pressurização da aeronave. Muitas empresas oferecem pratos sem açúcar, sem lactose, de baixa caloria e vegetarianos. Os dois últimos são facilmente digeridos, o que garante inclusive um sono mais tranqüilo (podem ser solicitadas entre 24 e 48 horas de antecedência). Outra boa sugestão são os alimentos sem sal, para prevenir o inchaço nas pernas, comum em vôos mais longos. Portanto, fique longe dos amendoins ou castanhas de caju. Bebidas alcoólicas devem ser evitadas porque causam desidratação. Além disso, a altitude potencializa o efeito do álcool. Para vôos mais curtos, a solução é simples. Se comeu antes de ir para o aeroporto, não há necessidade de se alimentar durante o vôo. Se tiver fome, não há muitas opções além da barrinhas de cereais, mini-sanduíches (prefira os com ricota e peito de peru) e biscoitos. Evite refrigerante e água gasosa, que podem atrapalhar a digestão e provocar gases.

O que comer em cruzeiros

Cuidado com o festival gastronômico! Pois há comida à vontade 24 horas por dia. A boa notícia é que tem muita coisa saudável, especialmente no que se refere a suco, fruta e saladas. A regra de ouro aqui é sempre analisar o bufê, fazer as escolhas e só então começar a se servir. Comece pela salada para se sentir mais saciada quando partir para o prato principal. Cuidado com osmolhos, escolha sempre a dupla azeite e vinagre (fique longe de blue cheese, thousand island e barbecue, pois são os mais calóricos). Coloque sempre uma proteína magra no prato, como um filé de peixe ou frango, e só um tipo de carboidrato, como pão, arroz ou macarrão. Prefira massas com molho de tomate, frutos do mar ou atum em vez das com queijo ou gratinadas. Para sobremesa, escolha uma porção de fruta ou sorvete de frutas. Doce, só de vez em quando (que ninguém é de ferro). E, ainda que esteja de férias, tente restringir o consumo de bebida alcoólica durante o dia. Mas não precisa se culpar por uma taça de vinho no jantar para acompanhar a refeição ou um drinque na balada. Mais do que isso, talvez tenha que acertar as contas com a balança na volta das férias. A escolha é sua!!!

Os cruzeiros, normalmente também oferecem, além do cardápio tradicional, para aqueles que necessitam de uma dieta personalizada,  cardápios especiais para crianças, opções para hóspedes que adotam uma alimentação vegetariana, light ou sem glúten, mais de 100 tipos de frutas diferentes e uma grande seleção de sobremesas de baixa caloria. Também possui ainda um menu especial dedicado a comidas Kosher (tradição judaica).

 

Liliam Teixeira Francisco

Nutricionista – CRN 2001100044-3

Consultórios:

Barra: Città America – Av. das Américas, 700 sala 343 bloco 6 –  Tel.: 2484-5028

Niterói: Rua Cel Moreira César, 229 sala 1712 – Shopping Icaraí – Tel.: 2246-0234

Méier: Rua Dias da Cruz, 556 sala 101 – Tel.: 2289-9403 / 3273-2772

Copacabana: Av. N. Senhora de Copacabana, 1052 sala 901 – Tel.: 2246-0234

Deixe um comentário

Arquivado em Colunas, ENDOdiagnostic, Receitas

Só mais um pedacinho…

Não sei vocês, mas eu nunca me dei bem coma dieta dos pontos ou que conta calorias. Na teoria ela é muito boa, pois permite que você coma de tudo um pouco, porém teoricamente, se você quiser ficar comendo só chocolate e duas vezes no dia, pode.

Mas no fundo meu problema nem era esse, afinal, nunca quis destruir a minha saúde, mas sim a síndrome do “só mais um pedacinho”. Para mim é difícil parar de comer.

Principalmente aquela guloseima, sabe?

“Se um copo de determianda comida são 20 calorias, mais meio copo não vai fazer mal”, essa lógica já acabou comigo mais de uma vez. Ela somada naquela lógica do “caramba, comi demais, minha dieta foi pro brejo, então vou me acabar de comer”, são um dos motivos dos meus quilos a mais, como já comentei aqui uma vez.

A verdade é que contar calorias para uma pessoa como eu, que as vezes passava o dia todo sem comer, não ajudava em nada. O melhor mesmo é comer um pouquinho e sempre.

Tirinha do meu amigo Miguelito.

1 comentário

Arquivado em Eu e o balão, Mudando meus hábitos