Arquivo do mês: novembro 2010

Assumindo meus erros

Acho que esse é o post mais difícil que eu já fiz. E olha que muitas mulheres com o balão que eu conheci no orkut, usam fakes. Acho que ainda existe vergonha e preconceito. Mas não é isso que eu gostaria de falar.

Quando eu comecei o blog tive um pouco de reticências quando a expor meu peso e meus obstáculos. É difícil dizer que se pesa esse ou aquele peso. Mas superei isso, e estou feliz de poder falar dessas coisas sem tanto problema.

Porém, tem uma coisa que eu nunca tinha enfrentado antes, a COMPULSÃO ALIMENTAR.

Estou escrevendo assim em letras bem grandes, pois é um problema igualmente grande. Até ontem eu nunca tinha admitido sofrer isso, acreditando piamente que um exagero ou outro não eram uma coisa assim tão ruim. Cheguei a falar para o dr. Felipe que eu não sofria desse mal, e que não teria problemas em ter alguma crise.

Minha mãe sempre diz que ser gorda é como ser alcoólatra e eu sempre interpretei isso como uma metáfora e nunca de forma literal. Olhava como até um exagero da parte dela, pois no alcoolismo a pessoa não consegue se conter e sofre uma grande dependência química.

Minha opinião mudou ontem.

Eram umas 4 da tarde e eu comecei a sentir uma dor muito intensa no estômago. Eu relatei isso no twitter e tudo o mais, enfim… senti a dor até chegar em casa e durante toda a noite. Não conseguia nem mesmo tomar água sem sentir ânsia de vômito. Tentei ligar para o dr. Felipe, mas não conseguia me focar, nem tentar direito. Foi quando aconteceu.

Senti uma vontade imensa de comer. Eu tremia, chorava. E sabia que não era de dor, mas sim, uma necessidade incontrolável de comer. Como uma pessoa com dor, sem conseguir tomar nem água, sente necessidade de comer um lanche? Eu queria comer um lanche do McDonald’s, com bastante queijo, molho, carne.

Por instantes eu tive a impressão que poderia quebrar tudo em casa, bater na parede, xingar, brigar, pela necessidade de ingerir aquela combinação de coisas. E eu finalmente olhei para mim e para a minha vida.

Enxerguei diversos momentos em que eu estava bem, comendo de forma controlada, aí acontecia algo que me deixava triste, ou estressada e eu tinha crises em comer uma quantidade enorme de comida. Eu me lembrei de comer muitos mais pedaços de pizza que conseguia aguentar, apenas pela sensação de enfiá-los pela boca.

Por algum motivo esses momentos estavam apagados na minha mente, ou não tinham a importância que deveriam na minha memória.

Ontem por alguns momentos eu achei que iria morrer ali, ou tirar o balão pela boca, ou abrir minha barriga pra tirar na marra. Não sei se alguém que vai ler isso já passou por alguma desintoxicação, ou já foi viciado em alguma substância. Mas ontem eu senti como se eu fosse, e no fundo eu sou.

Não… não no fundo, bem na frente mesmo. E acho que só eu não conseguia ver isso.

Então eu tive medo, lembrei que a minha glicose estava no limite, que posso ter problemas ainda maiores no futuro. Mesmo todos os problemas do mundo a superar, compensam a minha saúde? Um prazer momentâneo compensa tudo que vem com isso?

Não comi, antes que me perguntem, aguentei. Mas por muitos momentos, achei que não aguentaria. E uma próxima vez?

Isso eu não sei dizer, mas sei que quero controlar, mas sei que eu não quero mais ser assim.

Anúncios

11 Comentários

Arquivado em diário, Emocional

A primeira pesagem

9 dias com o balão, primeira pesagem e 3,2 Kg a menos!!!

Pois é pessoal, me pesei na balança hoje e estou com 84,4 Kg. Acho uma super vitória, sinceramente. Em todos os aspectos. Ando me sentindo muito mais bonita também, a pele, o cabelo… não sei explicar. Mas me olho no espelho e gosto do que estou vendo.

Não estou fazendo isso apenas pelo peso, como já disse antes, então perto de todas as vitórias que já alcancei, essa é apenas mais uma. No final da noite eu fui visitar a minha mãe e ela também me achou mais magra, mas ainda estou com a barriga inchada. Amanhã eu ligo pro dr. Felipe e saber se esse inchaço é normal.

As tentações da comida ainda não me abandonaram, quando eu vejo as pessoas comendo coisas que eu gosto como um chesseburger, pizza, ou mesmo coisas sólidas. Sinto muita falta de coisas sólidas. Ás vezes, passando na rua, me dá uma vontade doida de chorar de gritar também com vontade de comer coisas que eu não posso.

Quero que esse “vício” de comida vá embora. Vício de ligar meus sentimentos à comida, de sentir necessidade de comer coisas que eu sei na minha cabeça que não fazem bem.

Mas para não terminar esse post num clima ruim, vai uma foto minha, da minha mãe e do Daniel! Boa noite a todos.

2 Comentários

Arquivado em Eu e o balão, fome, o começo

Mudança de paladar

Certo, pessoal, ontem fez uma semana.

Preciso até me desculpar, por que não fiz um post ontem, mas sabem, o clima não estava nada bom aqui no Rio de Janeiro e sinceramente eu fiquei um pouco com medo, e isso me tirou toda a vontade de escrever, postar. Eu fiquei ansiosa mesmo e com os sentimentos exaltados.

Odeio violência, odeio ver gente sofrendo, odeio mortes. Essas coisas me afetam muito.

Nem mesmo me pesei ontem, no “dia 7”. Aliás, nem hoje. Evitei sair, fui apenas no cinema e já voltei. Prometo que amanhã me peso para fazermos o comparativo de uma semana.

Por causa dos últimos acontecimentos eu tive um pouco de azia e acabei dormindo mal. Acordei com dor no estômago e uma dor no braço, acho que dormi tão mal que acabei colocando meu braço embaixo de mim, sabe como é? E me deixou de manhã com dor. Tomei os remédios receitados e ficou tudo bem algum tempo depois.

Mas em compensação eu levantei com um ânimo absurdo, arrumei o fundo da casa, limpei a cozinha, arrumei a sala com bastante vontade. Fiquei satisfeita com o resultado da minha transformação.

Como eu disse, ainda não sei o quanto de peso eu perdi, mas estou acordando mais disposta, estou com menos sono, menos dor de cabeça, me sentindo mais leve, ou seja, eu já vi muitos resultados da decisão que tomei. O balão ajuda a manter essa dieta de limpeza, não sei se conseguiria sem ele.

Decidi que amanhã vou começar a caminhar. A dra. Liliam me disse que nesse começo é melhor apenas as caminhadas mais leves, pelo menos até eu entrar de vez em uma dieta sólida. Aliás, assim que a dieta sólida entrar vou pra academia voando. Tenho tido bastante energia, parada. Quero sentir isso, e as mudanças, quando começar a me exercitar. Sou muito sedentária, há muito tempo, então acho que uma série de dores nas costas vão melhorar com isso, bem como o meu sono.

Outra coisa interessante foi a minha mudança de paladar. Quando eu ia achar que tomaria iogurte natural desnatado diet de café da manhã e achar uma delícia! Sério, eu tô gostando muito mesmo, o paladar é ótimo. Purinho, sem açucar!!

Não sei até o quanto as mudanças vão acontecer. Eu sei que a minha cabeça continua a mesma, sofri um monte para ir no cinema e não comprar um saco de pipoca. Acho que ainda vai demorar muito para mudar de vez a minha forma de pensar comida, algumas coisas nem vão mudar.

Porém, espero que eu consiga chegar em um bom meio termo entre conseguir manter uma vida saudável e manter as coisas que eu acredito e gosto de fazer. Post longo e filosófico, desculpa pessoal…

1 comentário

Arquivado em diário, saúde x magreza

A alimentação muda nosso ritmo?

Eu nunca achei que veria isso mas, nesses últimos dias eu tenho vontade de dormir menos.

Minha mãe vai achar muita graça quando ler esse post, mas nesses últimos dias eu acordei de manhã cedo para arrumar o Daniel e o colocar na van, e não tenho tido vontade de dormir depois! Para muitos isso pode ser o normal, mas para mim sempre foi o melhor sono, de 30 a 50 minutos que eu dormia entre a van do Daniel levá-lo para a escola e a hora de levantar.

Não teve como não relacionar isso com a minha mudança de alimentação.

Ainda não comecei a me exercitar, devido a orientações médicas pela dieta líquida, então não poderia ser isso.

Resumindo sinto menos sono e menos preguiça. E isso é ótimo.

Deixe um comentário

Arquivado em diário, Eu e o balão

Corpo voltando ao normal

Hoje a tônica do dia foi… voltar ao normal. Foi até engraçado, por muitos momentos eu até esqueci que estava com o balão. A única coisa que permanece é a sensação de saciedade.

Para saber das experiências de outras pessoas eu fui caçar no orkut, de manhã bem cedo, uma comunidade sobre o balão intragástrico. Achei uma bem legal, mas achei muita gente que teve sintomas diferentes dos meus, como fome anormal. Acredito mesmo que a dieta que a dra. Liliam me passou é muito boa, pois não senti nada disso.

Li várias experiências diferentes de gente feliz e gente infeliz com o balão, mas não encontrei tantas pessoas que já tiraram para contar.

Além dessas dúvidas, muitos amigos também perguntaram coisas sobre o procedimento, por isso mesmo eu vou perguntar diretamente ao dr. Felipe na próxima consulta e gravar para vocês. Assim, se alguém quiser perguntar alguma coisa, manda pelo comentário, ou no meu formspring.

Ontem eu tive uma experiência engraçada, dentro do ônibus e estiquei meu braço para me segurar e achei meu braço menor. Bem menor pra dizer a verdade. Isso me deixou muito feliz. Boba, né?

1 comentário

Arquivado em diário, Eu e o balão, o começo, primeiro mês

Coisas que me dão uma vontade de comer…

A ideia sempre foi usar esse blog para falar das coisas do balão intragástrico, de como eu tava indo no tratamento e tal, mas certas coisas fazem parte disso. Os problemas emocionais, por exemplo.

Sinto muita vontade de comer quando estou sob stress ou muito chateada. E hoje não estou me sentindo bem, por muitos motivos, estou me sentindo sozinha.

Isso não vai me fazer sair da dieta, nem nada. Mas eu sei que num dia “normal” me faria comer horrores. Compensar sentimentos com comida. Um hábito que eu estou mudando desde já.

Acordei bem, não tive dores, nem enjôos, estou trabalhando normalmente, sem tontura, nem fraqueza. Dormi relativamente bem, não dá pra deitar em cima do estômago, e para uma pessoa que se mexe muito de noite é difícil. Mas meu sono nunca foi fácil, então não é muito parâmetro.

E para colocar as coisas justas, aí vai uma foto minha hoje! Acho que não estou pálida, nem nada… aliás me sinto bem. A minha calça jeans está um pouco folgada na perna já.

3 Comentários

Arquivado em diário, Emocional, o começo

Fazendo a minha comida

Esse post poderia se chamar, cozinhando para mim também.

Hoje eu fiz uma coisa que não fazia há muito tempo, cozinhar apenas para mim. E foi delicioso! Nem era pra eu comer agora, é para amanhã. Sopinha fresca e suco de laranja lima. Fui, cozinhei as coisas, e me senti muito bem!

Não me lembro a última vez que tinha feito isso. Apenas pra mim.

Nossa, olhando assim até parece egoísmo, mas é engraçado como damos pouco valor a certas coisas básicas. Como cozinhar.

Amanhã eu já introduzo novas coisas na dieta, inclusive a sopa foi feita agora com uma carne. Ah, e amanhã eu passo para os 100ml, não mais apenas 50!

Engraçado que eu ando tendo fome em intervalos de 30 em 30 minutos já. Dessa vez, fome mesmo, não vontade de comer.

E para não dizer que tudo são apenas rosas, hoje me senti um pouco fraca no final do dia, lá pelas 17 horas. Mas depois que cheguei em casa e tomei minha sopa, fiquei bem.

Hmmm, estou sentindo que preciso tirar mais fotos para colocar aqui. Mas me digam, gostariam de ver fotos das sopinhas e comidinhas? Hahahaha, sei não… Dêem uma ajuda em que tipo de fotos eu poderia colocar para ilustrar os posts.

Até amanhã!

2 Comentários

Arquivado em diário, o começo